Me pediram pra falar de ansiedade

Pois é, me pediram pra falar de ansiedade… Não que eu seja algum tipo de referência no assunto, mas como convivo com a minha de uma maneira um pouco diferente do que as pessoas em geral, achei interessante dividir o meu lado da história.

Então, antes de mais nada, gostaria de apresentar a definição de ansiedade, que as vezes diverge um pouco do senso comum.

Ansiedade é um estado psíquico de apreensão ou medo provocado pela antecipação de uma situação desagradável ou perigosa.

Considerada, até certo ponto, uma reação natural do ser humano, útil para se adaptar e reagir perante situações de medo ou expectativa​.
A ansiedade torna-se patológica quando atinge um valor extremo, com carácter sistemático e generalizado, em que começa a interferir com o funcionamento saudável da vida do indivíduo.

Fonte

Mas acho que ao invés de falar sobre ansiedade, eu vou mostrar como ela funciona na prática! Sejam bem vindos ao mundo da minha cabeça!

O simples processo de criar esse blog consumiu mais tempo do que eu imaginei que iria gastar… Bem como havia dito no post anterior, criar um blog gera uma série de perguntas. Muitas dessas perguntas fazem parte de uma parcela saudável de questionamentos, pois mostra que existe uma preocupação com a qualidade do blog e dos posts.

Mas a minha ansiedade me faz questionar muito mais do que eu citei lá… Um dos gatilhos da minha ansiedade é o perfeccionismo. Um traço que eu nunca tinha notado, mas quando parei para analisar (com auxílio da psicóloga e da psiquiatra) muitas coisas foram se encaixando… Mas contextualizando para o blog, vocês já se perguntaram qual é tamanho ideal de um título? Qual a duração ótima da atenção de um leitor? Ou até mesmo antes de montar o blog: será que estou escolhendo a melhor plataforma? ou será que vale a pena aprender um outro CMS, customizar minha própria plataforma? Poxa, mas eu nem sei HTML/CSS… E se eu nao bolar o melhor título para esse post, será que vão deixar de ler porquê não chamei atenção suficiente? Mas… será que o título tava bom e o conteúdo é que ficou fraco? Mal escrito? Mas eu revisei tantas vezes…

Enfim… Para não ficar só nesse ponto, espero que tenha dado para passar uma ideia. Não é só uma ansiedade comum, o que eu passo todos os dias é uma escala maior e tem nome: Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG)  e, assim como depressão, isso não é frescura. É um transtorno psiquiátrico, ou seja, é uma doença – e deve ser respeitada!
A minha cabeça vive cheia de preocupações, dificilmente eu consigo deixa a mente livre… E com isso vem o cansaço, a dificuldade para pegar no sono e, mesmo quando durmo, o corpo não descansa… São noites tensas, inquietas e de sono leve.

sleep.png

Com a soma desses fatores, os dias vão ficando cada vez mais difíceis, o humor vai ficando irritadiço, intolerante. Alguns dias apresentam um desafio tão grande e a solução dos problemas parece algo inviável que eles simplesmente me esmagam contra a cama, e sair da cama para enfrentar o dia torna-se impossível…

Mas isso não quer dizer que todos os dias sejam assim… Eu costumo dizer que tenho dias bons, dias ruins, dias normais e dias péssimos! Dias bons, normais e ruins todos nós temos, a dificuldade está em enfrentar os dias péssimos! E quando eu comecei o meu tratamento as coisas começaram a melhorar. E quando eu digo tratamento é porque passei por um período de terapia com uma psicanalista que me ajudou muito, os dias péssimos passaram a ser menos frequentes.
Mas ainda assim parecia que tinha alguma coisa faltando… o foco ainda não era o que eu esperava de mim, não estava rendendo nada perto do que eu conheço do meu pontecial, foi quando eu perguntei a opinião dela sobre a ideia de procurar um psiquiatra, perguntei se durante as nossas conversas ela concordava com um possível caso de depressão e a aprovação foi importante.

Para tentar contextualizar vocês, depressão (ou qualquer outro transtorno) é do tipo: “problema que você só vê na televisão, que o vizinho tem, que a filha toda estranha da outra lá também tem… Mas na minha casa? Claro que não! Ninguém lá em casa tem essas coisas não“. E foi por isso que a aprovação de alguém que estava me acompanhando a oito meses foi importante. Não estou fazendo pouco caso das pessoas a minha volta. Justamente por serem sinais silenciosos, que acontecem nos bastidores do nosso dia-a-dia, dificilmente alguém irá chegar pra você e dizer: “Nossa, tenho reparado em você e acho que você deveria procurar ajuda”  – Ou pior: quando alguém fala isso e a nossa reação defensiva é bloquear! É negar o que a pessoa está falando, como se ela acabado de nos ofender!

Visitar um psicólogo ou psiquiatra não é de gente louca!

Louca é a pessoa que, na oportunidade de ter uma vida melhor, escolhe o pior caminho!

E foi só quando eu juntei o trabalho da minha psicóloga e da minha psiquiatra que eu, depois de muito tempo, consegui voltar a “cuidar” da minha própria vida. Um mix de consultas para colocar a cabeça em ordem com o auxílio dos remédios para restabelecer a química do meu cérebro foram capazes, enfim, de me tirar de um período muito difícil da minha vida. Com a ansiedade controlada eu voltei a dormir melhor, mas não foi pouco melhor. Foi absurdamente melhor! Deitar na cama com a cabeça silenciada, sem que uma avalanche de preocupações e frustrações me impedissem de dormir e descansar era, até então, uma memóra distante… Lembro que me perguntaram na época e eu respondia: “Acho que não sabia o que era dormir e descansar de verdade há uns 3 anos!”

Mas com o tratamento e com o apoio de pessoas próximas a mim, foi uma fase superada (ou ainda em superação, vamos descobrir)! E por mais que eu esteja ansioso para dividir muitas das experiências que esse processo me ensinou, este post já esta muito grande! Nos assuntos futuros devo falar sobre Ansiedade no ambiente de trabalho e como isso afeta as tarefas do escritório!

Muito muuuito obrigado para quem separou um tempo para ler esse texto que conta um pedacinho da minha história com TAG. Por favor sintam-se a vontade para deixar suas opiniões e, se você é uma pessoa ansiosa ou conhece uma pessoa ansiosa, não deixe de compartilhar este post, pois informação foi é a chave para a recuperação!

Até o próximo post e obrigado!

Anúncios

5 comentários sobre “Me pediram pra falar de ansiedade

  1. Hey querido! Parabéns pela inciativa e pela coragem. Não em contar sobre si (acho que também), mas a coragem de procurar ajuda e parar para se olhar – algo que muitas vezes evitamos como defesa/receio -, sabemos que não é fácil! Falo isso como psicóloga e como paciente.

    Adorei a ideia do blog! Muito bacana, mesmo!!! Ele está ótimo porque tem algo muito especial em seu conteúdo: sua subjetividade, revelada através da sua sinceridade. Isso é algo muito precioso, obrigada por compartilhar!

    Achei bem legal também vc encontrar um jeito criativo de canalizar toda essa energia ansiosa e produzir algo novo (por mais que a ansiedade esteja presente nesse processo, porque é uma expressão sua afinal, vc consegue ter um resultado visível, genuíno e sensível).
    É bem difícil falar sobre algo que não é mensurável ou visível, mas acho que vc coloca isso de um jeito muito claro e ainda rompe com algo importante: a descrença de que as pessoas passam por isso. Ainda, traz essas vivências para o cotidiano, desmistificando a ideia normativa entre “loucura” e “normal”.

    Enfim, obrigada pela generosidade!!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oi Drew!!!
    Muito legal essa ideia do blog, realmente escrever sempre foi minha ideia favorita pra aliviar as emoções de forma geral, e é muito bom ver que esse exercício da escrita está dando certo contigo.
    Sempre gostei de ler blogs, e o seu já está nos meus favoritos.
    Quanto ao tema, sofro do mesmo problema a um bom tempo. Como conselho procure sobre meditação, acupuntura, exercício físico e até mudança de alimentação, principalmente em retirar o álcool da sua vida, acho que tudo isso tem a ver com a ansiedade e a forma como não só os remédios terão um efeito melhor, mas também as toxinas alimentares, os excessos de forma geral prejudicam intensamente as atividades neurais.
    Escreva mais!!!! Parabéns pelo blog.
    Ass: Daniel Solha.

    Curtir

  3. Uau, parabéns!
    Ficou muito bom o post, eu também sou ansiosa, e no fundo acho que todo mundo é… alguns mais outros menos, e por ai vai.
    E para não ficar descontrolado eu faço realmente o que o Daniel comentou, procuro me exercitar sempre pois isso funciona muito pra mim, principalmente, por trabalhar sentada em frente a códigos todos os dias, procuro me alimentar bem, sempre ter um tempo de lazer, fazendo o que eu gosto, e não o que me mandam fazer essas coisas…

    Curtir

  4. E aí, Adriano, beleza?
    Primeira vez que passo pelo seu blog, vim pelo seu compartilhamento no face do post “Um filme para noite de sexta”, e acabei caindo nesse post que me chamou mais a atenção.
    Eu sou uma pessoa muito ansiosa, creio que talvez não igual você, mas eu me sinto muito mal quando sei que no dia seguinte vou passar por alguma situação nova ou algo assim, é tipo aquelas crianças que dormem mal na noite anterior ao “dia da excursão da escolinha”. Talvez algum dia eu devesse procurar ajuda sobre este ponto, mas por enquanto “to levando”.
    Sobre o seu blog, a sua ideia de montar um blog, achei super bacana.
    Eu tenho tipo uns 10 blogs rs, e em cada um dele eu falo sobre alguma coisa que eu acho que eu vou gostar de falar.
    Tenho um blog que falo dos meus sonhos (sonhos desses de quando você dorme mesmo), tenho um blog sobre jogos, um de sorteios, um de críticas de restaurantes ruins (acho que só deve ter 2 posts) e com certeza tem mais alguns espalhados por aí que não me lembro, mas o legal é que eu sempre começo!
    Acho que as plataformas gratuitas de blogs me ajudaram muito nesse ponto.
    Simplesmente quando eu tenho um lampejo de ideia eu já vou lá e crio um blog em poucos segundos e começo a escrever!
    Obviamente, a maioria dos meus está parado, mas tenho dois blogs que ainda atualizo com frequência (todos os dias praticamente), então eu te apoio a criar todos os blogs que você quiser, mesmo que o layout seja o mais tosco da face da Terra!
    Bom, já to quase escrevendo mais um post aqui né, vou parar de falar.
    Se precisar de qualquer coisa, manda uma mensagem!
    Abração!
    Muita força, cara!
    by Milene Toda

    Curtir

  5. Pingback: AdrianoDSQ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s